sexta-feira, 14 de maio de 2010

Os Sonhos

Os sonhos foram banhados                   
nas águas da miséria                       
e derretem-se.                              
Os sonhos foram moldados                   
a ferro e a fogo                           
e tomaram a forma do nada.                 
Os sonhos foram e foram.                   
Mas crianças com bocas de fome             
ávidas, ressucitaram a vida                
brincando anzóis nas                       
correntezas profundas.                     
E os sonhos, submersos e disformes         
avolumaram-se engrandecidos                
anelando-se uns aos outros                 
pulsaram como sangue-raiz                  
nas veias ressecadas                       
de um novo mundo.

(Conceição Evaristo)

2 comentários:

  1. Quanta leveza em seu texto.
    Gostei muito. Me pareceu muito verdadeiro e quase um desabafo!

    Lindo!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. A minha poesia

    Minha poesia
    Minha herança
    Minha vida
    Meus sentimentos
    Meus conflitos
    Minhas emoções
    Minha razão
    Meus escritos
    É tudo que
    Eu posso deixar

    Anjopoesia

    Adorei seu Blog...
    Beijos

    http://sensibilidadeanavegarcompoesias.blogspot.com/

    ResponderExcluir