sexta-feira, 14 de maio de 2010

Delirios


Aqui e agora,                                                        
Nesse silêncio mudo,                                         
Sou criança, sou mulher, sou senhora...        
Já que os sonhos permitem-me tudo.             
Não sonho em vão, eu bem sei,                       
Jamais me alimentei de ilusão.                        
Mas sem os sonhos, o que serei?                      
quando a vida insistir em dizer não?              
Aqui e agora.                                                         
Nessa solidão que reclama                                 
Sou rainha, princesa, sou dama...                      
E a comida farta na mesa,                                   
E os lençois de seda na cama,                             
Serão o símbolo da riqueza,                                
De toda a nobreza que me inflama.                  
Aqui e insistentemente agora,                           
Nesse pensamento que penso,                           
Sou sua . . . tão loucamenta sua,                        
Que já nem sei mais o quanto me pertenço.   
Nesse delírio absurdo,                                          
Já que os sonhos permitem-me tudo.               

(Andrea Cristina Rio Branco)

Nenhum comentário:

Postar um comentário